Excelentes ferramentas para os negócios, mas que exigem cuidado.

Os smartphones, os acessos às redes sociais e aplicativos de mensagens como Facebook, WhatsApp, Instagram, etc são excelentes ferramentas de comunicação. Invenções maravilhosas a serviço da sociedade moderna. São ferramentas excelentes também para os negócios, para as vendas, etc. Mas, infelizmente, também são utilizadas de forma inadequada e provocam grandes perdas de tempo.

Quantas vezes você, como consumidor, entra em uma loja e nem sequer é percebido pelo vendedor que está distraído com o aparelho celular? E se o vendedor percebe que você chegou, demora ainda um pouco mais para atender até completar o que estava fazendo. É uma pena! Muitas vezes os consumidores são negligenciados, mesmo por um curto período de tempo, devido ao mau uso da tecnologia.

Nem sempre o bom senso prevalece. Se por um lado as empresas tentam proibir o uso dos aparelhos, por outro lado os profissionais não têm noção de que têm um papel a cumprir com seu trabalho. Em locais onde a concentração é imprescindível para a produção e para a segurança, tais dispositivos são proibidos e devem permanecer guardados em armários ou no bolso. Em locais fora do ambiente industrial, os aparelhos são permitidos, ou tem seu uso aceito, mas podem comprometer a eficiência e a produtividade.

No ambiente comercial estes dispositivos são mais aceitos. No entanto, o uso indiscriminado pode significar grandes perdas de tempo e prejuízos incalculáveis. Para profissionais autônomos, vendedores e representantes comerciais, o uso descontrolado dos aplicativos de comunicação e redes sociais pode levar à falência. Tempo é dinheiro e por isso, deve ser economizado e muito bem empregado.

Os grupos formados no WhatsApp são um assunto à parte. São grupos de família, de amigos, da escola, do trabalho, da equipe, da Igreja, da balada, do partido… Uma infinidade! É praticamente impossível ser proativo em todos eles. O certo é que consomem muito tempo. Além disso, o excesso de uso das redes sociais chegam a criar uma dependência de estar sempre conectado. Há pessoas que já não conseguem se ausentar do aparelho celular e se “desconectar”. Tornou-se um vício.

Assim, tantas “conexões” se tornam mesmo “ladrões de tempo”. A sensação de termos a vida tão corrida, se deve mesmo a um pouco do tempo roubado em cada uma dessas inúmeras atividades. Como se não bastassem tantos que já temos, há ainda mais esse desafio para o nosso dia a dia.

Vale a pena lembrar, ainda que alguém precise trabalhar e produzir por aqueles que perdem tempo e não contribuem com a sua parte do trabalho gerando, no mínimo, uma grande injustiça dentro da equipe.

Algumas dicas para as empresas e os profissionais:

Os desafios para lidar com essa avalanche de informações são grandes. As empresas devem promover encontros com suas equipes para definir as regras para o uso dos smartphones. Serão levados em conta a produtividade, a eficiência e a segurança. Por outro lado, os profissionais devem se conscientizar que, para concretizar seus objetivos pessoais e profissionais, precisam produzir e fazê-lo de acordo com as expectativas da empresa.

  1. A empresa, antes de simplesmente proibir o uso dos aparelhos celulares, deve reunir a liderança e a equipe para combinar as condições de utilização. É preciso que fique claro para todos que o objetivo destes esforços é evitar injustiças e garantir a produtividade. Esclareça que enquanto uns perdem tempo outros devem trabalhar mais para que não haja perdas.
  2. Estabeleça objetivos e acompanhe. Demonstre que todos estão sob avaliação e que todos devem colaborar e se esforçar para cumprir tais objetivos.
  3. Avalie regularmente com a equipe os resultados obtidos com as decisões tomadas.
    1. Como líder e empresário, dê o exemplo que deseja que seja seguido. Mostre que é possível ter controle sobre a utilização dos smartphones.
    2. Se o uso do WhatsApp é ferramenta de vendas da empresa, deve-se ter um aparelho exclusivo para isso e pessoas definidas para as visualizações e retorno das mensagens.
    3. Pedir a familiares e amigos para não esperarem contatos rápidos pelos aplicativos de mensagens. Estabeleça momentos específicos para verificar e responder mensagens. Peça para que, em casos de emergência, liguem na empresa.
    4. Evite permanecer com o telefone muito próximo durante o trabalho. Mantenha-o guardado em armários ou na bolsa sem som, para não incomodar. Retorne as ligações e mensagens nos momentos destinados para isso.
    5. Selecione cuidadosamente quais grupos de mensagens merecem realmente a sua atenção e o seu tempo. Novamente, tempo é dinheiro.
    6. Esteja atento à segurança. Aplicativos de mensagens e redes sociais são grandes fontes de distração. Por isso, é tão perigoso no trânsito.

    Participe!

    Como você e sua empresa tem tratado esta questão no dia a dia? O que você tem feito para que você e sua equipe não fiquem viciados em “conexão”? Conte pra nós as suas ideias.

 

Luis Pimentel
Luis Pimentel
Telefone / WhatsApp: (19) 98167-2151

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *